Marcados com " oftalmologista"

Dr. Claudio Lottenberg visita o Papa Bento XVI

23 mai 2012 por Lotten Eyes    1 Comentário     Postado em: Notícias
Foto Dr. Claudio Lottenberg e Papa Bento XVI

Prezados pacientes!

Nesse mês de maio, em visita ao Vaticano, tive a oportunidade de encontrar com sua Santidade, o Papa Bento XVI.

Durante a audiência, entreguei a ele, uma pequena lembrança, em formato de uma mão presa a uma haste que é usada nas leituras da Torá, o velho testamento.

Em minhas palavras ao Papa disse que as tábuas da lei foram escritas com as mãos de Deus e, que esta mão , que ali lhe entregava , tinha este simbolismo, pois usada para leitura da Torá, a qual os católicos se referem como sendo o Primeiro testamento, associava algo que temos em comum entre nós : Deus e o Velho Testamento. Enfatizei ainda que ,catolicos e judeus,  somos todos seres humanos e temos  cada vez estar mais unidos. Sua Santidade expressou um sorriso muito afetuoso , comovente, encantador, algo meio inexplicável e, que me remeteu ao encontro que tive há mais de vinte anos com um Rabino dos mais conhecidos e carismáticos em Nova York, Lubavitch Rebe. Senti proximidade com Deus sendo que desta vez apoiado por um líder que não de minha religião.

Fui educado em uma escola cristã. Nas missas de final de ano, era o único aluno que não se ajoelhava por não ser católico. Portanto, aprendi desde o inicio de minha educação , que era diferente na forma de me relacionar com Deus mas sobretudo aprendi a ser semelhante ao conviver junto a  diversidade que para mim se cristalizou em um sentimento que me permite preservar meus princípios e valores, mas mantendo a interlocução entre os demais como sendo um instrumento de vida. Não sei ou não imagino o que possa ser a vida sem o dialogo e julguei que deveria socializar com todos vocês este momento.

O Brasil é um país que soube como construir um caminho de respeito à diversidade. O entendimento entre os diferentes é o próprio exercício do viver e o sentido da compreensão em relação ao próximo é a própria aceitação do convivio em uma comunidade.

O Papa fez menção ao bom convivio que os católicos mantêm com os judeus na America Latina . Lamentou atos discriminatórios e reconheceu que hoje a própria igreja é alvo de radicalismos que afrontam o direito às escolhas individuais.

O meu desejo ao ouví-lo era de poder compartilhar toda esta energia com todos vocês.

Claudio Lottenberg

Neurite Óptica: saiba o que é e qual o tratamento adequado

29 ago 2011 por Lotten Eyes    17 Comentários    Postado em: Neurite Óptica

Neurite óptica (NO) é uma inflamação do nervo óptico que leva à diminuição – geralmente temporária – da visão. Muitos casos dessa doença estão associados ao aparecimento de outra, a Esclerose Múltipla. Porém, ela também pode ocorrer isoladamente. Nos casos onde há associação com Esclerose Múltipla, comumente a NO é a primeira manifestação dessa doença. Ocasionalmente, a NO pode ocorrer também após infecções envolvendo a órbita, os seios paranasais, ou infecções virais sistêmicas.

Sua incidência é maior em brancos do que em negros, além de afetar duas vezes mais mulheres do que homens. Geralmente aparece a primeira vez em adultos jovens, dos 20 aos 45 anos de idade. Há ainda casos em que afetam crianças – esses casos raramente progridem para Esclerose Múltipla. Estima-se que 75% das mulheres e 35% dos homens que apresentam o primeiro episódio de NO vão apresentar Esclerose Múltipla no futuro.

Pacientes com NO têm uma rápida perda da acuidade visual em um olho, e raramente nos dois olhos ao mesmo tempo. A queda visual pode ser discreta, em apenas uma parte do campo visual, ou até ocorrer a perda total da visão. Geralmente, a diminuição da visão está associada a uma dor retro orbitária durante a movimentação ocular e alteração da visão de cores. Também pode ocorrer queda de visão devido ao calor ou atividade física.

O diagnóstico da Neurite Óptica é realizado através do exame físico feito por um oftalmologista, exames laboratoriais,Campimetria VisualPotencial Evocado VisualRessonância Nuclear Magnética, que é também um instrumento importante para avaliar a existência ou a chance de se desenvolver Esclerose Múltipla.

Apesar de todos os estudos sobre esta doença, seu tratamento é atualmente controverso. Desse modo, desde a simples observação sem medicação, até a internação e o uso de medicação intravenosa podem ser o tratamento correto. A gravidade e o tempo de aparecimento dos sintomas vão direcionar o tratamento mais adequado. A melhora da visão é comumente gradual ao longo de algumas semanas. Porém, pode haver déficit residual, principalmente na visão de cores e de contraste, independente do tratamento escolhido.

O acompanhamento precoce e conjunto entre um oftalmologista e um neurologista é o mais indicado para prevenir ou amenizar as sequelas e a conversão para Esclerose Múltipla, tendo em vista preservar a qualidade de vida do paciente.

Dr. Hallim Feres Neto – Médico Oftalmologista

-