Navegação"Cuidados com a visão"

O Cigarro e os Olhos

29 ago 2012 por Lotten Eyes    Sem Comentários    Postado em: Cuidados com a visão

Um dos melhores investimentos que podemos fazer para nossa saúde é largar ou, melhor ainda, evitar de fumar. E os nossos olhos agradecem. Afinal são mais de 4000 toxinas presentes no cigarro que agem no olho por mecanismos isquêmicos e oxidativos.

Os malefícios do cigarro para o olho já são conhecidos há muito tempo. E quanto mais se fuma, maior a chance de desenvolver catarata, degeneração macular relacionada a idade e glaucoma, doenças essas hoje consideradas as maiores causas de cegueira no mundo.

Mas não para por aí: a fumaça do cigarro é um irritante que piora os sintomas de olho seco não só para para o fumante ativo mas para o passivo também. Isso causa sintomas que vão desde uma leve irritação dos olhos até lacrimejamento excessivo, queimação, prurido, entre outros.

Existem ainda vários indícios que o cigarro pode agravar a Oftalmopatia de Graves, que é uma doença dos olhos relacionada ao hipertireoidismo no qual um ou os dois olhos se projetam anteriormente nas órbitas.

Até as crianças podem ser afetadas pelo cigarro, principalmente pela exposição delas em ambientes onde se fuma (dentro de casa ou do carro, por exemplo). Além do risco de desenvolver a conjuntivite alérgica, as crianças filhas de mães fumantes tem risco maior de desenvolver estrabismo.

Vamos cuidar dos nossos olhos ?

Dr. Luis Paves

Médico Oftalmologista

Cuidados com os olhos no verão

22 fev 2012 por Lotten Eyes    2 Comentários    Postado em: Cuidados com a visão

Nessa época do ano é muito importante lembrarmos-nos de proteger e cuidar de nossos olhos.

A exposição aos raios solares aumenta a chance de doenças na retina e de catarata precoce. A Degeneração Macular Relacionada à idade é uma causa importante de piora da qualidade de vida das pessoas de mais idade e pode ser prevenida com o uso de óculos escuros de boa qualidade (que tenham proteção UVA e UVB).

Óculos de Sol - Proteção para seus olhos no verão

Além disso, a exposição excessiva pode causar queimaduras oculares, com sensação de ardor, lacrimejamento e olho vermelho.

Vale lembrar que a exposição não precisa ser direta como quem faz kitesurf ou empina pipa, mas quem surfa ou esquia na neve também está sujeito ao reflexo do Sol na superfície.

Estão comuns queixas de corpo estranho, como areia, folhagens ou poeira. Nesses casos o melhor é não coçar os olhos, pois se o corpo estranho está alojado atrás da pálpebra o coçar pode machucar mais. Lave os olhos com água corrente e se ainda assim o incomodo persistir mantenha o olho fechado e procure um especialista.

Os consultórios e pronto-socorros costumam ver um aumento nos casos de conjuntivite nessa época, para se prevenir evite levar as mãos aos olhos sem lavá-las antes. Dificilmente não contaminamos de outra forma que no seja com nossas próprias mãos.

Dr. Hallim Feres neto

Oftalmologista

CRM: 117.127

Problemas de visão: Dr Claudio Lottenberg dá dicas no Programa Bem Estar

30 jun 2011 por Lotten Eyes    6 Comentários    Postado em: Cuidados com a visão

Na manhã desta quinta-feira, dia 30 de junho, o Dr. Claudio Lottenberg participou do Programa “Bem Estar”, da Rede Globo, que trata de assuntos ligados à saúde.

Durante o programa, o Dr. Claudio Lottenberg falou sobre os principais problemas de visão, como miopia, astigmatismo, hipermetropia, presbiopia e catarata, além de responder perguntas feitas através da internet por telespectadores.

Ele também deu dicas sobre os cuidados com os olhos que as pessoas devem ter no dia-a-dia, como a importância de lavá-los sempre, com atenção especial para as pálpebras, o que ajuda a evitar problemas como a conjuntivite.

Veja abaixo a entrevista na íntegra ao Programa Bem Estar sobre problemas com a visão:

Saiba mais sobre a entrevista do Dr Claudio Lottenberg e sobre os problemas de visão, clicando aqui.

Consultas Oftalmológicas: veja a importância de realizar regularmente

31 mar 2011 por Lotten Eyes    11 Comentários    Postado em: Cuidados com a visão


Muito se questiona a respeito da necessidade e do melhor momento para se fazer uma consultaavaliação oftalmológica.

Ainda na infância, ajudados pelo médico pediatra, os pais devem obrigatoriamente prestar atenção no desenvolvimento ocular e tomar as devidas providências quando algum sinal anormal surge. Numa fase mais avançada, o menor necessita de avaliação pré-escolar e ainda consulta anualmente, quando já cursando os primeiros anos de educação formal. Portanto, cabe aos pais interagir com os pediatras e alinhar avaliações de acordo com conhecimento adquirido.

Os jovens já são mais orientados e para estes os sintomas passam a ser uma prerrogativa que os motiva a procurar um médico. Nas fases de maturidade, uma atenção maior deve ser dada em função de possíveis problemas ligados ao Glaucoma, que é uma doença degenerativa do nervo óptico e que leva a cegueira irreversível, podendo ou não cursar com pressão intraocular elevada.

Em minha clínica oftalmologica diáriamente vários são os pacientes submetidos a cirurgias refrativas, isto é, procedimentos que por meio de laser fazem a correção de grau. Nestes casos, no pós- operatório são prescritos colírios a base de corticóide e mesmo que temporariamente estes têm efeitos colaterais indesejáveis, podendo levar ao glaucoma e à catarata. Uma vez findado o período válido para a prescrição dos colírios, o uso deve ser eliminado e em momento algum estas medicações devem voltar a serem utilizadas sem orientação médica. Portanto, colírio é um nome genérico de um veículo de instilação médica mentosa ocular e que só pode ser usado se acompanhado por médico oftalmologista.

Temos recomendado aos nossos pacientes que façam seus retornos de consulta de maneira regular. No período mais precoce as consultas devem ocorrer mensalmente, sendo que em fases mais avançadas fica a critério médico determinar a frequência dessas consultas. Entretanto, um paciente submetido a um procedimento cirúrgico ocular, seja ele da natureza que for, deve ser revisto pelo menos entre uma e duas vezes ao ano. Muitas vezes vemos que isso não ocorre e, portanto, é vital que os pacientes sejam muito zelosos no sentido de conciliar suas agendas com o cuidado a saúde dos olhos.

Dr. Claudio Lottenberg

Verão e férias: cuide bem dos seus olhos

5 jan 2011 por Lotten Eyes    Sem Comentários    Postado em: Cuidados com a visão

O verão não pode ser um obstáculo na qualidade de sua saúde ocular. Caso alguns cuidados sejam tomados, você evitará muitas das razões que lhe fazem procurar um médico oftalmologista em condições de emergência.

1-Uso de óculos com filtro solar (óculos escuros)

Muitos pacientes nos procuram por queimadura solar em suas córneas, o que efetivamente poderia ser evitado caso estivessem fazendo uso de óculos com proteção a radiação ultravioleta, além da utlização criteriosa de lubrificante ocular (lágrima artificial). Quadros desta natureza são denominados genericamente como ceratite e a dor é muito forte. Afora isto vale lembrar que a velocidade da evolução da catarata é muito maior em pacientes que não usam óculos escuros quando comparados aos que os utilizam

2-Proteção dos olhos nas tarefas caseiras

Não menos freqüente, o fato de nossos pacientes nos procurarem em função de acidentes domésticos é fruto de tarefas que normalmente não realizamos e que nas férias são objeto inclusive de recreação. Trata-se de um trabalho manual de carpintaria, uma soldadura e que exigem de TODOS óculos de proteção de maneira rotineira.

3-Proteção dos olhos em praticas esportivas

Há um aforisma que diz quanto maior a bola menor a consequência do trauma. Quem sabe por isto que cada vez mais nos procuram pacientes em função de traumas com paintball, bola de tênis, afora os demais que podem ter riscos menores, mas que efetivamente existem. Portanto, importante ressaltar a necessidade de proteger os olhos em determinadas modalidades esportivas. O olho localiza-se em um estojo ósseo (órbita), mas esta não é suficiente para proteção em todas as condições advindas de traumatismos.

4-Contato com substâncias químicas

Muito cuidado na utilização imprópria de colírios. Recebemos muitos pacientes, que por falta de organização dos frascos similares aos de colírios, utilizam indevidamente substâncias para outras finalidades, o que podem ocasionar infamações, lesões oculares. Além disto, não é infrequente que nas piscinas entremos em contato com substâncias irritativas, infecciosas ou não , mas que causam forte desconforto. Em ambas situações, a conduta é a de lavar intensamente com água corrente e no máximo utlizar-se lubrificante tópico ocular. Recomenda-se que o paciente seja examinado por um médico especialista.
Cuidado com mordidas de insetos, pois a região ao redor dos olhos é altamente infectante, além disto, é uma região onde não podemos colocar repelente.

5-Outros cuidados

Recomendo ainda cuidado com uso de “armas de brinquedo” que possam conter materiais que eliminem algum tipo de detrito e que possam invadir as estruturas oculares mesmo que externas. Cuidados com arame farpado, líquidos de baterias velhas e minha especial recomendação para os cuidados extras que devem ter os pacientes que tenham sido submetidos previamente a cirurgias oculares e cirurgia refrativa em particular.

Tomo remédios: meus olhos podem ser afetados

28 abr 2010 por Lotten Eyes    Sem Comentários    Postado em: Cuidados com a visão

É comum os pacientes nos procurarem com queixas de sintomas oculares na vigência do uso de medicamentos sistêmicos. Quem sabe por isso vale a pena falarmos sobre este assunto.

A proposta não é a de causar qualquer clima alarmista, mas a de orientar para determinadas queixas que muitas vezes se mostram presentes e que, podem ou não ter significado, podem ou não colocar em risco a saúde de seus olhos, mas efetivamente merecem ser esclarecidas.

Os olhos são estruturas ricamente vascularizadas e com pouca massa tecidual. Assim não é infreqüente que drogas sistêmicas tragam efeitos colaterais nos olhos.

A amiodarona utilizada nas arritmias cardíacas pode se acumular na córnea e ainda causar opacidade de cristalinos, isto é, catarata. Os antimaláricos, utilizados hoje também no tratamento das colagenóses podem afetar a córnea e a retina. Os corticóides, importante recurso utilizado como anti-inflamatório e como coadjuvante de inúmeros tratamentos, merecem um destaque na relação entre estes e o aumento da ocorrência da catarata e do glaucoma. As drogas fotossensibilizantes como o psoraleno utilizado para tratamento de vitiligo e psoriase pode também aumentar as chances de se desenvolver Catarata.

Existem drogas que afetam as pálpebras, a conjuntiva e a esclera levando a lacrimejamento, alteração da tonalidade do branco do olho e até a vermelhidão. É o caso da clorpromazina, das sulfinamidas e até das tetraciclinas que em oftalmologia são frequentemente utilizadas para o controle de blefarite crônica.

Queixa freqüente e, principalmente em idosos é a de diminuição da lágrima e olho secos com sensação de areia. Nesta categoria de queixas vale ressaltar os anticolinérgicos, dos bloqueadores beta-adrenergicos utilizados para tratar a hipertensão arterial, e, até mesmo dos anti-histaminicos utilizados em quadros alérgicos.

Outra modalidade de apresentação destas manifestações está na pupila. Assim não é incomum que pacientes que façam uso de medicamentos que contenham atropina apresentarem-se com a pupila dilatada valendo o registro para a chance de se desenvolver glaucoma em pacientes com câmara anterior rasa quando fazem uso de estimulantes do sistema nervoso central como as anfetaminas. Os ansiolíticos (drogas moderadoras de apetite) também têm efeito sob a dilatação da pupila.

Drogas usadas para uso sistêmico como diuréticos, sulfinamidas e inibidores da anidrase carbônica podem causar quadros de agudização de miopia.

Os achados aqui descritos tem mérito na orientação de nossos pacientes. Como muitos dos termos são técnicos, caso haja alguma dúvida, aconselho que você procure seu médico e as esclareça. Vale lembra que, em conjunto com o seu clinico, alguns destes medicamentos podem ser substituídos, já outros simplesmente merecem ser monitorados.

Um abraço,

Claudio Lottenberg.

Álcool, prejuízo também para sua visão

3 jun 2008 por Lotten Eyes    Sem Comentários    Postado em: Cuidados com a visão

Habitualmente com o surgimento de medidas mais radicais, a sociedade tem reações por vezes exageradas na mesma medida que a atitude que iniciou o processo. Acredito que o equilíbrio seja o ponto adequado nas questões sobre ingestão de álcool, muito embora estivéssemos muito aquém do equilíbrio necessário.

De todo o álcool que ingerimos, somente 5% é eliminado diretamente através da transpiração, da saliva e da urina. A maior parte é absorvida e levada a corrente sanguínea quando é depurado pelo fígado em taxas pequenas e lentas. Isto significa dizer que a grande parte se acomoda nos diferentes órgãos e particularmente no cérebro, afetando as capacidades cognitivas, sensoriais e motoras. Interfere, assim, negativamente em uma série de funções e inclusive no sistema visual.

Desta maneira podemos dizer, sem sombra de dúvida, que a capacidade visual para perto e para longe fica acometida quando estamos sob o efeito do álcool. Havendo nos momentos posteriores a ingestão de bebida alcoólica um prejuízo a binocularidade e a capacidade de avaliação de distância, o que leva o condutor a tomar medidas mais intempestivas sem o devido juízo necessário.

Não podemos deixar de mencionar o estreitamento do campo visual que também pode ocorrer. Com ele, temos a impressão de uma visão em um túnel semelhante à observada nos casos avançados de glaucoma, com o agravante de ocorrer de forma abrupta e sem a devida percepção por parte do alcoolizado.

Estas alterações são importantes elementos que nos permitem confirmar sob o ponto de vista oftalmológico a importância de uma legislação mais rígida relativa a questões do consumo de álcool.

-