Navegação"Cuidados com a visão"

Saúde Ocular na gravidez: confira 4 sintomas que podem afetar a visão

5 dez 2016 por Lotten Eyes    Sem Comentários    Postado em: Cuidados com a visão, Curiosidades

A gestação é um período que traz diversas mudanças no corpo da mulher, algumas podem ser percebidas com o passar do tempo, como o crescimento da barriga, aumento dos seios e enjoos repentinos. Já outras, como pequenas mudanças na visão da futura mamãe, são quase imperceptíveis aos outros, mas causam grande desconforto.
Isso porque as mesmas alterações hormonais que resultam em inchaço, enjoo e mudanças de humor, também são responsáveis por causar desde uma pequena dificuldade para enxergar nitidamente, até o comprometimento da visão da criança em formação.

Confira as dicas que separamos sobre problemas comuns neste período e, ao menor sinal de qualquer sintoma, procure seu médico de confiança.

1 – Olho seco: é possível que ao longo da gestação a mulher sofra com alguns sintomas, como coceira e vermelhidão, causados por um desequilíbrio na quantidade de lágrimas ou evaporação excessiva. O problema pode vir ao longo da gestação e tende a desaparecer lentamente, após o nascimento do bebê.

2 – Manchas escuras no campo visual: este problema está associado a um problema comum na gravidez, a pré-eclâmpsia. Caracterizada pelo aumento da pressão arterial, o aparecimento de manchas ou pontos pretos no campo de visão estão entre as consequências da doença. Para detectar o problema precocemente, é importante fazer o exame de fundo de olho durante a gravidez.

3 – Alteração de grau: se você, gestante, usa óculos, pode ser que se surpreenda ao perceber que eles já não estão sendo suficiente. Isso porque a retenção de líquido e aumento de peso podem alterar a espessura da córnea, deixando a visão distorcida. Nesse caso, o ideal é procurar um oftalmologista para, se necessário, ajustar as lentes para o novo grau

4 – Sensibilidade à luz: este costuma ser um sintoma da enxaqueca, que pode ser acentuada na gestação por causa das variações hormonais. Neste caso, é importante conversar com seu ginecologista antes de usar qualquer tipo de medicamento.
Gostou das dicas? Em todo caso, principalmente neste período, é importante estar sempre em contato com seu oftalmologista, para buscar os melhores tratamentos e assegurar a sua saúde ocular e também a do seu bebê.

Dia do Idoso: saiba quais são as principais doenças oculares na terceira idade

30 set 2016 por Lotten Eyes    Sem Comentários    Postado em: Cuidados com a visão, De olho na saúde

A visão tem um papel essencial em momentos de pura felicidade. Os idosos são o principal grupo atingido pelos problemas de visão, por isso, o cuidado deve ser redobrado. As principais doenças oculares na terceira idade são:

Catarata
Comum após os 50 anos de idade, a catarata consiste na perda da transparência do cristalino, lente natural dos olhos. A doença ocorre de maneira natural, embaçando a vista, e pode ser acelerada por diversas doenças, como diabetes. Segundo dados da OMS, a catarata é responsável por 47,8% dos casos de cegueira no mundo.

Degeneração Macular Relacionada à Idade (DMRI)
Principal causadora de cegueira em pessoas acida dos 55 anos, a doença consiste na degeneração da retina. O DMRI surge com o embaçamento da vista e distorção das formas, evoluindo para a perda gradual e irreversível da visão. Quando detectada no início, pode ser controlada.

Glaucoma
É provocada pelo aumento da pressão ocular, provocando lesão no nervo ótico. O glaucoma raramente apresenta sintomas, aparecendo somente em estágios avançados da doença, podendo levar a cegueira irreversível.

Presbiopia
É conhecida como “vista cansada”, atingindo pessoas acima dos 40 anos. O problema se caracteriza pela perda da qualidade visual para perto.

Retinopatias
Ocasionada por complicações provocadas pela diabetes e hipertensão arterial, a doença altera os vasos sanguíneos e causa má circulação na retina. A retinopatia se instala lentamente e os sintomas incluem visão borrada, moscas volantes ou flashes, e até mesmo a perda repentina da visão.

Seja com a presença de sintomas ou não, é de extrema importância realizar exames periódicos com o oftalmologista, possibilitando uma possível identificação precoce de doenças.

O que você precisa saber sobre a Cegueira Infantil

1 abr 2016 por Lotten Eyes    Sem Comentários    Postado em: Cuidados com a visão

Segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), cerca de 500 mil crianças ficam cegas todos os anos, sendo a maioria no primeiro ano de vida. Só no Brasil, 33 mil crianças perdem a visão, sendo 28% por conta de doenças que poderiam ser evitadas, e 15% tratadas precocemente.

Motivos

Os principais motivos que levam a cegueira infantil são os erros de refração, a retinopatia da prematuridade, a catarata e o glaucoma congênito, as cicatrizes retinianas e corneanas, além do retinoblastoma e malformações oculares. Além destes, ainda na barriga da mãe, o zika vírus, a rubéola, a toxoplasmose e outras doenças infecciosas também podem levar o bebê a nascer com alguma deficiência visual.

Teste do olhinho

Para evitar estes casos de cegueira, o Teste do Olhinho se faz obrigatório para todos os recém-nascidos. O exame identifica alterações do reflexo de luz no fundo do olho, permitindo identificar diversas doenças a tempo de serem tratadas. No entanto, isso não quer dizer que o seu bebê não precise visitar o oftalmologista. Para garantir a saúde ocular da criança, é importante realizar uma consulta até o primeiro aninho de vida.

Primeiros anos de vida

É dever dos pais observarem os sinais que a criança dá. Não reagir a estímulos luminosos, demonstrar aversão à luz, lacrimejar excessivamente, manter os olhos sempre fechados, não ter interesse pelo o que está ao seu redor, não demonstrar reação ao ver a mãe, e esbarrar em objetos com frequência são sintomas que devem ser levados em conta.

Também é possível observar se a criança apresenta olhinhos desviados, mancha branca na pupila, pupilas muito dilatadas, de cor acinzentada ou opaca, ou se apresenta olhos sempre vermelhos e com secreção. Depois de completar dois anos, é preciso que a criança retorne ao oftalmologista no mínimo uma vez por ano, para realizar exames de rotina.

Dos três aos oito anos de idade, ainda é possível identificar alguns distúrbios de visão. Nesta fase, note se a criança cai com frequência, franze a testa para ver melhor, assiste TV muito próxima da tela, se inclina a cabeça pra um dos lados quando presta atenção ou se vira um dos olhos para fora quando está distraída em locais muito abertos, como parques.

Se perceber qualquer um destes sintomas, marque sem demora uma consulta com o oftalmologista. O tratamento precoce pode salvar a visão do seu filho por toda a vida.

Olhos vermelhos na piscina: você sabe por que isso acontece?

3 mar 2016 por Lotten Eyes    Sem Comentários    Postado em: Cuidados com a visão, Curiosidades

Morando num país tropical como o Brasil, com um clima quente durante quase o ano inteiro, é difícil resistir a um banho de piscina. Depois de alguns mergulhos, notamos que os nossos olhos vão ficando vermelhos, havendo ou não incômodo. Mas por que isso acontece?

Você deve ter pensado no excesso de cloro e outros produtos químicos utilizados para limpar a piscina, mas este não é exatamente o motivo. Segundo um estudo do Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos Estados Unidos, a razão dos olhos vermelhos é a presença de suor e urina na água. Sim, urina nos olhos.

O estudo ainda ressaltou que é muito mais fácil ficar com os olhos vermelhos em piscinas com grande concentração de pessoas, como em clubes, condomínios, hotéis ou parques aquáticos. Nesses lugares, as pessoas parecem se importar menos com a higiene do local.

O erro é acreditar que o cloro tem o poder de matar os microrganismos assim que entra em contato com eles. Embora sua função seja limpar a água, ele acaba se ligando às substâncias que tenta eliminar, produzindo compostos químicos irritativos que podem causar incômodo no nariz e coceiras na pele, além da vermelhidão nos olhos.

O mesmo vale para a transmissão de doenças infecciosas, como a conjuntivite. Por isso, se puder, evite piscinas coletivas. Mas caso não seja possível, use óculos para mergulho e proteja os seus olhos.

Saiba como evitar os riscos de doenças oculares no verão

7 dez 2015 por Lotten Eyes    Sem Comentários    Postado em: Cuidados com a visão

Durante o verão, os cuidados com a saúde devem ir além do protetor solar. As altas temperaturas favorecem o aparecimento de vírus, fungos e bactérias na água e em ambientes fechados, quentes e úmidos. Isso facilita o desenvolvimento de doenças oculares, então, fique atento.

Uma das doenças mais comuns neste período do ano é a conjuntivite, infecção que se dá na conjuntiva (membrana que recobre a parte branca do olho), podendo ser do tipo alérgica, bacteriana ou viral. Dentre os sintomas estão a coceira intensa, vermelhidão, inchaço e lacrimejamento.

Também comum no verão, a Ceratite é uma infecção que surge na córnea, sendo causada por fungos e bactérias. Os sintomas mais frequentes são a sensação de corpo estranho nos olhos e a vermelhidão.

O Pterígio é causado pela exposição em excesso e sem proteção aos raios ultravioletas, causando ardência e vermelhidão. A doença costuma atingir pessoas que trabalham expostas ao sol. Em longo prazo, pode provocar aumento do astigmatismo e perda parcial da visão.

A Catarata torna o cristalino (lente natural dos olhos) opaco, causando visão embaçada. A doença se manifesta, em média, aos 60 anos, mas uma exposição solar excessiva sem proteção ao longo da vida pode ocasionar o seu aparecimento precoce.

Confira abaixo algumas dicas para diminuir os riscos de contrair estas doenças:

- Utilize chapéus e óculos de sol com lentes que tenham proteção contra os raios UVA e UVB do sol. Se você não gosta dos óculos escuros, hoje já é possível encontrar tipos de grau com filtros;

- Compre seus óculos apenas em estabelecimentos confiáveis, com procedência conhecida e recomendação médica. Óculos sem proteção agridem ainda mais os olhos, pois a pupila se dilata quando se utiliza uma lente escura, o que favorece a entrada da radiação solar;

- Ao entrar no mar ou na piscina, não mergulhe com os olhos abertos. Isso diminui o risco de contaminação por micro-organismos que podem gerar conjuntivites e ceratites;

- Quem faz o uso de lentes de contato deve retirá-las antes de entrar na água. O uso facilita a infecção por micro-organismos, no caso de contato com os olhos;

- No caso de irritação nos olhos após sair da água, lave-os bem com algum colírio lubrificante. Caso não alivie, procure um oftalmologista;

- O uso prolongado do ar condicionado também deve ser evitado. Por diminuir a umidade do ambiente, os olhos ficam mais ressecados, podendo gerar desconfortos, como coceira e sensação de corpo estranho. O uso de colírio lubrificante pode ajudar, mas também é importante realizar a limpeza frequente do filtro do ar. O acúmulo de ácaros pode provocar conjuntivite alérgica;

- Respeite o prazo de validade e as regras de armazenamento dos colírios. Alguns produtos precisam ser armazenados na geladeira. Nunca compartilhe estes colírios com outra pessoa, pois isto, facilita a transmissão de infecções;

- Se você pratica atividade física ao ar livre, utilize faixas na cabeça para evitar que o suor escorra para os olhos. No rosto, utilize sempre o filtro solar adequado para esta área, tomando cuidado para que o produto não atinja os olhos;

- Se notar que algum corpo estranho entrou em seus olhos, tente não esfregar. Lave-os com soro fisiológico ou colírio lubrificante. Se não melhorar, procure o oftalmologista.

Siga estas dicas e curta o verão com proteção!

Doenças que podem ser identificadas pelos olhos

“Os olhos são espelho da alma e a janela do mundo.” (Leonardo da Vinci)

Os olhos espelham o que acontece dentro de nós, não só no que diz respeito às emoções, mas também em nossa fisiologia, traduzindo o equilíbrio ou o desequilíbrio do nosso organismo. Através das queixas do paciente e do exame oftalmológico minucioso, o médico consegue identificar sinais e sintomas que levam ao diagnóstico de doenças sistêmicas.

Muitas vezes as queixas oculares são as primeiras dentro do contexto de uma síndrome clínica. O olhar atento e os conhecimentos científicos direcionam o médico para o diagnóstico e tratamento precoces, diminuindo as possíveis sequelas.

Veja a seguir as principais doenças encontradas no consultório:

1 – Diabetes

Visão embaçada quando associada a outros sintomas, como aumento da sede e da fome nos faz pensar no diagnóstico de diabetes. Quando o paciente mantém níveis altos de glicose no sangue, esse desequilíbrio pode machucar a parede dos vasos do fundo do olho, e no exame da retina encontramos áreas de sangramento, isquemia e edema. Esse quadro pode ser prevenido com o controle da glicemia.

2 – Hipertensão Arterial

A visão embaçada, associada a dores na nuca e tontura, ocorrem quando a pressão arterial atinge níveis muito altos. Nos olhos isto se reflete por veias mais tortuosas e artérias com brilho aumentado, além de sangramentos intrarretinianos. Em casos graves, pode correr acúmulo de líquido na região da visão central, que chamamos de estrela macular, ou até no nervo óptico, que chamamos de edema de papila. A hemorragia subconjuntival, o famoso “derrame” no olho, em alguns casos pode ser devido a um pico de pressão. Os pacientes se assustam, mas não é um caso preocupante, por não causar consequências na qualidade visual.

3 – Doenças Reumatológicas

Olho vermelho, dor e visão embaçada unilateral são sintomas muito comuns nos quadros de inflamação na parte anterior do olho, o que chamamos de uveíte anterior. Os exames laboratoriais nos levam ao diagnóstico mais preciso de doenças reumatológicas, como espondilite anquilosante e artrite reumatóide. O paciente é encaminhado ao medico reumatologista para um tratamento mais específico.

4 – Esclerose Múltipla

É uma doença autoimune em que ocorre uma inflamação do sistema nervoso central. Esta inflamação pode alcançar o nervo óptico, e o paciente chega ao consultório com visão borrada, geralmente unilateral e ao exame encontramos edema de papila. O diagnostico é comprovado por exames de imagem do cérebro.

5 – Estenose de Carótida

As carótidas são dois grandes vasos que temos no pescoço. Elas levam o sangue arterial, rico em oxigênio, para o cérebro e todas as estruturas da nossa cabeça. Quando ocorre aterosclerose, que é o depósito de material anormal na parede dos vasos, isto diminui o fluxo de sangue e atinge os olhos, geralmente com padrão unilateral. O paciente pode apresentar queixas de perda transitória da visão (amaurose fugaz) e ao exame encontramos assimetria do padrão vascular entre os olhos, ou até oclusão dos vasos arteriais da retina.

6 – Miastenia Gravis

É uma doença autoimune que afeta os músculos. O paciente pode chegar ao consultório com sinais como pálpebra caída (ptose), visão dupla (diplopia) e diminuição da expressão facial.

7 – Rosácea

É uma doença da pele em que vasos novos crescem e fazem aumentar a oleosidade o rosto. Esta oleosidade atinge a raiz dos cílios, causando um quadro de blefarite recorrente.

8 – Síndrome de Jogren

É uma condição autoimune em que ocorre a destruição das glândulas lacrimais, podendo estar associada a doenças como o Lúpus Eritematoso Sistêmico ou a Artrite Reumatóide. O paciente apresenta dificuldade de lubrificação ocular com sintomas de ardência, sensação de areia nos olhos e vermelhidão.

9 – Síndrome da Imunodeficiência Adquirida (AIDS)

O vírus HIV pode enfraquecer o sistema imune e, quando isto acontece, favorece o desenvolvimento de infecções oportunistas. Algumas delas são muito características do paciente imunodeprimido, como por exemplo, a inflamação de retina por citomegalovírus. Exames laboratoriais específicos são solicitados para fechar o diagnóstico.

10 – Tumor Cerebral

O tumor é um crescimento desordenado de um tecido. Dependendo da sua localização, pode causar a compressão de estruturas nobres, como por exemplo, os adenomas de hipófise que comprimem o quiasma óptico. Nestes casos, os pacientes chegam com queixa de perda de campo visual.

11 – Aneurisma Cerebral

O aneurisma acontece quando a parede do vaso está enfraquecida, e com isto temos uma protuberância localizada. Este alargamento do vaso comprime as estruturas vizinhas, e pode atingir nervos oculares. O nervo mais frequentemente atingido é o oculomotor. Devido ao seu trajeto longo, os achados clínicos são a ptose, olho deslocado para lateral e para baixo e a dilatação da pupila unilateral, dentre outros sintomas.

Dra. Lilian A. Peixoto

CRMSP 113848

10 hábitos essenciais para a saúde dos olhos:

29 jan 2015 por Lotten Eyes    Sem Comentários    Postado em: Cuidados com a visão

Para ter uma visão boa é importante que cultivemos hábitos saudáveis. Listamos 10 hábitos para prevenir doenças oculares e melhorar a saúde ocular.

  1. Evite coçar os olhos: As mãos contém muitas impurezas como bactérias, vírus e fungos que podem causar infecções nos olhos. O coçar crônico dos olhos, à longo prazo, pode levar a doenças da córnea como ceratocone em pacientes que tenham predisposição. Também podem aparecer “feridas” nos olhos, chamadas ceratite, principalmente nos usuários de lente de contato.
  2. Controle da Glicemia: O excesso de glicose no sangue pode causar problemas não só no corpo como nos olhos também. Alteração da visão e do grau dos óculos quando a glicemia está muito alta são alguns dos sintomas. A retinopatia diabética (doença que afeta os vasos da retina), que no começo não apresenta sintomas pode levar à cegueira se não tratada.
  3. Coma mais peixe: O peixe é alimento rico em Ômega 3 e também contém vitaminas A,B,D e E, que são essenciais para saúde ocular, prevenindo doenças oculares como a degeneração macular relacionada a idade.
  4. Pratique atividade física: Estar acima do peso, somado a uma má alimentação, podem causar problemas físicos que afetam os olhos, como diabetes e hipertensão.
  5. Lave bem os olhos: O acúmulo de maquiagem, poeira e poluição na base dos cílios pode levar a inflamações das pálpebras, causando irritação, olho vermelho e coceira. Tenha o hábito de lavar com Shampoo neutro os cílios e ao redor dos olhos pelo menos 2 vezes ao dia.
  6. Pare de fumar: O consumo de cigarro está associado a alguns problemas de visão, como degeneração macular, catarata e danos ao nervo óptico.
  7. Cuidado com as lentes de contato: Lavar bem as mãos antes de colocar as lentes, higienizar com produtos específicos, controle da validade e substituição das lentes são hábitos saudáveis para evitar complicações oculares.
  8. Lembrar de piscar os olhos: Quando usamos muito computador ou durante uma leitura prolongada piscamos menos do que o necessário, por isso lembre de piscar mais os olhos, a fim de evitar a sensação de olho seco.
  9. Proteger contra o Sol: Os raios ultravioleta são muito maléficos tanto para pele como para os olhos. Portanto além do protetor solar devemos proteger os olhos com óculos escuros que contenham bloqueio contra os raios UVA e UVB para evitar doenças como degeneração macular e catarata.

10.  Olhar para longe: O uso excessivo da visão para perto pode causar cansaço ocular e visão embaçada. Para evitar esses sintomas, proporcione algumas pausas nas suas atividades ao longo do dia e olhe para longe (6 metros ou mais). Isso fará com que seus olhos relaxem.

Dra. Carolina Engelbrecht – Médica Oftalmologista.

CRM: 140190

Maquiagem: enfeite o seu olhar com saúde

3 dez 2014 por Lotten Eyes    Sem Comentários    Postado em: Cuidados com a visão

Com a chegada do final do ano, chegam também as festas e as mulheres acabam abusando do uso de maquiagem.

A maquiagem em si não traz problemas para saúde ocular, mas precisa ser utilizada de forma adequada. É sempre importante comprar produtos de marcas conhecidas que contenham no seu rótulo a certificação do teste feito por oftalmologistas (Ophthalmologist tested), principalmente nos casos de rímel, lápis, delineadores, corretivos e sombras, e os demais que têm contato direto com os olhos.

Conferir a data de validade dos produtos também é muito importante. Deve-se ficar atento aos sinais de validade vencida como mudança da cor do produto, ressecamento da tinta, aparência esfarelada ou mudança de textura. Os pincéis utilizados durante a maquiagem devem ser limpos semanal ou quinzenalmente, dependendo da freqüência do uso. Essa limpeza pode ser feita com sabão neutro e água morna e deixar secar ao ar livre em ambiente bem ventilado.

Mesmo tomando todos estes cuidados é essencial retirar a maquiagem toda ao final do dia com produtos específicos. O acúmulo de restos de maquiagem na base dos cílios pode causar inflamações crônicas como hordéolos, calázios, blefarite, além de sensação de olho seco.

E por fim, a maquiagem nunca deve ser compartilhada, devido ao risco de transmissão de doenças oculares como a conjuntivite, por exemplo. Existem doenças oculares que não são visíveis a olho nu, por isso nunca sabemos se uma pessoa pode ser portadora de algum tipo de infecção ou não.

Cuide bem da saúde dos seus olhos e boas festas!

Dra. Carolina Engelbrecht – Médica Oftalmologista.

CRM: 140190

O Cigarro e os Olhos

29 ago 2012 por Lotten Eyes    Sem Comentários    Postado em: Cuidados com a visão

Um dos melhores investimentos que podemos fazer para nossa saúde é largar ou, melhor ainda, evitar de fumar. E os nossos olhos agradecem. Afinal são mais de 4000 toxinas presentes no cigarro que agem no olho por mecanismos isquêmicos e oxidativos.

Os malefícios do cigarro para o olho já são conhecidos há muito tempo. E quanto mais se fuma, maior a chance de desenvolver catarata, degeneração macular relacionada a idade e glaucoma, doenças essas hoje consideradas as maiores causas de cegueira no mundo.

Mas não para por aí: a fumaça do cigarro é um irritante que piora os sintomas de olho seco não só para para o fumante ativo mas para o passivo também. Isso causa sintomas que vão desde uma leve irritação dos olhos até lacrimejamento excessivo, queimação, prurido, entre outros.

Existem ainda vários indícios que o cigarro pode agravar a Oftalmopatia de Graves, que é uma doença dos olhos relacionada ao hipertireoidismo no qual um ou os dois olhos se projetam anteriormente nas órbitas.

Até as crianças podem ser afetadas pelo cigarro, principalmente pela exposição delas em ambientes onde se fuma (dentro de casa ou do carro, por exemplo). Além do risco de desenvolver a conjuntivite alérgica, as crianças filhas de mães fumantes tem risco maior de desenvolver estrabismo.

Vamos cuidar dos nossos olhos ?

Dr. Luis Paves

Médico Oftalmologista

Cuidados com os olhos no verão

22 fev 2012 por Lotten Eyes    2 Comentários    Postado em: Cuidados com a visão

Nessa época do ano é muito importante lembrarmos-nos de proteger e cuidar de nossos olhos.

A exposição aos raios solares aumenta a chance de doenças na retina e de catarata precoce. A Degeneração Macular Relacionada à idade é uma causa importante de piora da qualidade de vida das pessoas de mais idade e pode ser prevenida com o uso de óculos escuros de boa qualidade (que tenham proteção UVA e UVB).

Óculos de Sol - Proteção para seus olhos no verão

Além disso, a exposição excessiva pode causar queimaduras oculares, com sensação de ardor, lacrimejamento e olho vermelho.

Vale lembrar que a exposição não precisa ser direta como quem faz kitesurf ou empina pipa, mas quem surfa ou esquia na neve também está sujeito ao reflexo do Sol na superfície.

Estão comuns queixas de corpo estranho, como areia, folhagens ou poeira. Nesses casos o melhor é não coçar os olhos, pois se o corpo estranho está alojado atrás da pálpebra o coçar pode machucar mais. Lave os olhos com água corrente e se ainda assim o incomodo persistir mantenha o olho fechado e procure um especialista.

Os consultórios e pronto-socorros costumam ver um aumento nos casos de conjuntivite nessa época, para se prevenir evite levar as mãos aos olhos sem lavá-las antes. Dificilmente não contaminamos de outra forma que no seja com nossas próprias mãos.

Dr. Hallim Feres neto

Oftalmologista

CRM: 117.127

-